Bem Vindos

Bem Vindos

Você que tem um trabalho de ciências que e dicultoso.
Venha e visite meu blog do google.
Fala do Corpo Humano,Meio Ambiente e etc...

Não fique perdendo a cabeca com o trabalho de ciências,eu resolvo!

quinta-feira, 19 de junho de 2008

ESOFAGO




O esôfago é um canal muscular com cerca de 23 a 25 cm de comprimento e 2 a 3 cm de largura, estende-se da faringe ao estômago; é a parte mais estreita do tubo digestivo. Desde a origem até a terminação, o esôfago atravessa necessariamente a parte inferior do pescoço, a cavidade torácica, o diafragma e a parte superior da cavidade abdominal. É um órgão situado na linha mediana, na frente da coluna vertebral. Termina lançando-se no estômago ao nível da cárdia.
O bolo alimentar chega ao estômago, empurrado pelas contrações do esôfago, são os chamados movimentos peristálticos, também executados pelo estômago e intestino.



Primeiro, você tem que fazer a parte que lhe cabe na digestão: mastigar, mastigar e mastigar.
Você vê então o sanduíche sendo amassado e triturado, até virar uma pasta.
Tudo isso feito pelos dentes, junto com a saliva e a ajuda da língua.
Depois você acompanha a comida descendo pela garganta, onde fica a epiglote, que está ali para não deixar a comida passar para o sistema respiratório.
Da garganta, a comida segue para o esôfago, um tubo com paredes musculosas que a empurra para baixo até ela chegar ao estômago.
Olha só como o estômago fica se mexendo!
É que as paredes do estômago, compostas por músculos, se espremem para transformar a comida em líquido. Que diferença daquele pedação de sanduíche que entrou pela boca.
Opa, mas o que é isso?
Um líquido que vai agindo sobre a comida? Pois é, no estômago começam a entrar em cena elementos fundamentais para a digestão: os sucos digestivos. Sem eles, a comida levaria uma eternidade para ser transformada. O estômago produz o ácido clorídrico, que tem a missão de acordar a dorminhoca da pepsina. Ela só acorda para trabalhar, acelerando a digestão das proteínas que estão nos alimentos e são muito importantes para nossa saúde.
É um conduto musculoso, dirigido diretamente para baixo, desde a faringe até o estômago. A contração dos músculos da parede da faringe e a presença do bolo alimentício na porção superior do esôfago, provocam uma onda contrátil, única, rítmica e potente das paredes do esôfago, chamada onda peristáltica que impulsiona o bolo para o estômago. Sua comunicação com o estômago é regulada por um anel de músculo liso, chamado esfíncter, através do qual se produz a popular hérnia diafragmática.

O esôfago, como é falado no Brasil, ou (esófago) como é chamado em outros países, é um órgão oco que, em muitos animais, une a faringe ao estômago.
Suas contrações através dos movimentos peristálticos fazem com que o bolo alimentar avance até ao estômago (em 2 segundos, aproximadamente) , mesmo que você esteja de cabeça para baixo.
Histologia
É revestido por epitélio pseudo-estratificado ciliado não queratinizado com células caliciformes.
Ele está divido em 3 partes: uma proximal, uma média e outra distal. Na parte proximal as fibras musculares são na sua maioria estriadas esqueléticas, já na proximidade do estômago todas as fibras são musculares lisas.
É composto por 3 camadas: uma mucosa, uma submucosa e outra muscular. A camada mucosa é composta por um revestimento epitelial pavimentoso estratificado, uma lâmina própria de tecido conjuntivo. A camada submucosa contém pequenas glândulas que lançam suas secreções em direção à luz do esôfago. Essa secreção contém substâncias as quais combatem os agentes infecciosos do meio externo. A camada muscular se divide em externa e interna.
Doenças do esôfago
O câncer de esôfago tem atingido endemicamente algumas regiões do mundo, tendo como principais causas o consumo de álcool e cigarro, a deficiência de vitaminas (A,C,B) ou de oligoelementos (Zn e Mo), contaminação de alimentos por fungos, o hábito de ingerir bebidas quentes (chimarrão, café) e o refluxo gastroesofágico, onde ácidos do estômago e sucos biliares atingem continuamente o esôfago.
Preventivamente, o paciente com refluxo gastroesofágico pode, a critério médico, ser submetido a um tratamento clínico com medicamentos chamados de "inibidores de bomba de prótons" a longo prazo ou ao tratamento cirúrgico. Quando o paciente já apresenta alterações malignas do epitélio, caracterizadas como câncer de esôfago, o tratamento curativo é a esofagectomia.

Nenhum comentário: